A Covid-19 tem tomado conta de todos os assuntos relacionados a saúde nos dias atuais. Mas mesmo com os riscos dessa pandemia, não podemos esquecer de outro vilão da nossa saúde: a dengue. Uma doença febril aguda causada por vírus, sendo um dos principais problemas de saúde pública no mundo.

No estado do Paraná, o último informe da dengue divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), confirmou mais 503 casos da doença e dois novos óbitos. Os dados acumulados no período epidemiológico, iniciado em agosto do ano passado, registram 3.927 casos confirmados e nove óbitos, 36.658 notificações, 18.846 casos descartados e 9.333 em investigação.

Além da dengue, o mosquito também transmite o zika vírus e a chikungunya. Todas são doenças severas, que podem levar ao óbito se não tratadas a tempo.
Os sintomas são: febre, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele. A doença pode evoluir para uma forma mais grave e ocasionar sangramento na pele, mucosas, órgãos internos e até levar à morte.

Pessoas que já contraíram a infecção, podem ter a doença novamente e evoluir para uma forma grave.

COMBATE AO MOSQUITO – É importante ressaltar que a dengue é uma doença que pode ser evitada. A melhor maneira de combater o mosquito adulto é eliminar a água parada ou armazenada de maneira incorreta que podem se tornar possíveis criadouros, como em vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos.
As temperaturas mais altas e chuvas regulares que estamos tendo, favorecem o acúmulo de água nas residências, tornando-se morada perfeita para o inseto. Por isso, a mobilização de toda a sociedade é fundamental no êxito das ações e consequentemente na busca em vencer essa luta contra o mosquito.

Todos na luta contra a dengue
Compartilhe esta notícia: