Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher

Nesta sexta-feira (28), Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher, o Instituto Curitiba de Saúde (ICS) relaciona algumas doenças que atingem especialmente este público e a rotina de cuidados preventivos para manter o bem-estar físico e mental.

A combinação entre hormônios, fatores genéticos e até ambientais, levam as mulheres a terem mais predisposição para determinadas doenças. Além das ginecológicas, que podem comprometer a saúde das pacientes, doenças como depressão, osteoporose, varizes e fibromialgia, possuem maior incidência no sexo feminino.

Na depressão, por exemplo, o sexo feminino tem um risco quase duas vezes maior de incidência e as causas podem estar ligadas ao excesso de trabalho, afazeres domésticos, desigualdade de remuneração e até mesmo a criação dos filhos sozinha. A enfermidade também ocorre devido a alterações hormonais e na absorção de endotoxinas (substância que promove uma inflamação no cérebro).

Essa instabilidade também causa cansaço, sono não reparador, entre outros sintomas que levam ao diagnóstico de fibromialgia. Uma doença ainda de causa desconhecida, que afeta mulheres entre 25 e 65 anos, causando dores generalizadas.

Outro alerta é a osteoporose, uma das doenças mais comuns em mulheres acima dos 45 anos. Causada pela baixa absorção de cálcio nos ossos, a patologia acontece devido predisposição genética ou também por estilo de vida como sedentarismo, alimentação inadequada, fumo, álcool e café em excesso.

Ao longo da vida, alterações nos hormônios, uso de anticoncepcionais, gestações, obesidade e histórico familiar também colocam as mulheres com maior predisposição para as varizes, veias dilatadas que causam dor, edema e problemas de circulação.

CUIDADOS – Segundo a médica de família do ICS, Carolina Soares dos Reis, todas estas patologias podem ter a incidência diminuída com alguns cuidados básicos, como exames de rotina, atividade física regular e alimentação saudável.

“A saúde da mulher merece atenção especial. Boas noites de sono, evitar o fumo, bebidas alcoólicas em excesso são alguns dos fatores que contribuem para a prevenção dessas doenças. É preciso se atentar as mais diversas especialidades médicas para que a mulher tenha uma vida cada vez mais saudável”, afirma a especialista, que ainda ressalta a importância de datas e campanhas de conscientização.

“Essas mobilizações anuais para os cuidados na área de ginecologia, mastologia, entre outras patologias são essenciais para a saúde da mulher, pois incentivam a atenção primária e o autocuidado. Com o diagnóstico precoce as chances de cura são maiores”, disse.

CONSCIENTIZAÇÃO – A data para o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher foi definida no IV Encontro Internacional Mulher e Saúde em 1984, com o principal objetivo de chamar a atenção e conscientizar a sociedade sobre diversos problemas de saúde comuns na vida das mulheres.

Saúde da Mulher
Compartilhe esta notícia: