Infecções respiratórias em crianças aumentam no inverno

A aproximação do inverno traz preocupações aos pais, principalmente pelo aumento de doenças respiratórias nas crianças. Diante disso, o Instituto Curitiba de Saúde (ICS), busca capacitar os profissionais para um atendimento adequado, a fim de orientar e realizar um diagnóstico e tratamento da patologia que acomete a criança.

Os fatores responsáveis pelo maior desenvolvimento de vírus e bactérias nessa época do ano são diversos e aumentam devido às constantes e bruscas mudanças climáticas, diminuição na umidade do ar (afetando a defesa das mucosas), aumento de poluentes suspensos no ar, aglomerações e ambientes fechados, e até mesmo casacos e cobertores retirados dos armários depois de muito tempo podem trazer fungos e ácaros.

Todos estes fatores aumentam a chance da criança adquirir doenças de vias aéreas superiores, principalmente o resfriado comum, causado por alguns tipos de vírus como: Rinovírus, Adenovírus, Influenza,Coxsaqckie e VSR (vírus sincicial respiratório) que, se não tratado de forma adequada, pode complicar e levar a infecções mais sérias, desde otites até pneumonias ou bronquiolites.

Mas, se não bastasse todas as patologias comuns do inverno, a pandemia da Covid-19 está circulando em todo mundo e possui sintomas comuns a todas essas infecções respiratórias.

Segundo o médico pediatra do ICS, Guilherme Valente, o momento que vivemos é preocupante em relação à distinção de diagnósticos.

“É importante os pais levarem as crianças primeiramente ao pediatra, pois no momento em que estamos é muito difícil distinguir entre resfriados e rinosinusites, e a infecção pelo Covid-19. Apenas um profissional capacitado pode orientar nestes casos”, afirma o médico.

De acordo com o especialista, a situação de cada família é avaliada de maneira individual e dependendo do caso é possível evitar a necessidade de exames invasivos em crianças pequenas.

“De um modo geral, quando toda a família está com os sintomas da Covid-19, é preferível orientar a coleta apenas dos adultos. O PCR irá informar se existe RNA do vírus na amostra de nasofaringe deste familiar e neste caso, poupará a criança de realizar de realizar esse exame”, explica.

Estas infecções têm sintomas muito parecidos. Saber qual delas está causando a doença é fundamental para que a criança receba rapidamente o tratamento adequado.

Para sintomas graves, crianças e adolescentes possuem pronto atendimento pediátrico 24 horas por dia no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie e no Hospital Menino Deus.

Mais informações podem ser obtidas no Teleatendimento, pelo telefone 3131-6100.

Pediatria – Doenças respiratórias
Compartilhe esta notícia: