ICS disponibilizará declaração para pacientes portadores de comorbidades

Foto: Daniel Castellano / SMCS

O Instituto Curitiba de Saúde (ICS) vai disponibilizar as declarações para pessoas portadoras de comorbidades, como diabetes, hipertensão, problemas cardíacos e renais, entre outros, se vacinarem da Covid-19. Baseado nas orientações da Secretaria Municipal de Saúde e do Conselho Regional de Medicina (CRM-PR), o documento será disponibilizado mediante consulta.

O médico que acompanha o paciente deverá avaliar se o mesmo se enquadra nos critérios previamente definidos pelo Plano Nacional de Imunização. O documento emitido pelo CRM-PR será o único aceito para vacinação dos usuários da rede privada no município.

“Vamos seguir as instruções da prefeitura nesta próxima etapa da imunização. Já estamos monitorando os pedidos de consultas e sanando dúvidas que chegam referentes ao tema. É muito positivo ver o avanço da vacinação e nosso objetivo é conduzir o processo da melhor maneira possível”, explica o diretor-presidente do ICS, Tiago Waterkemper.

As consultas continuarão a ser agendadas pelos canais do ICS via teleatendimento, no 3131 6100, todos os dias da semana, das 6h às 22h, pelo aplicativo, disponibilizado no sistema Android e IOS, ou pelo Portal do Beneficiário.

O ICS orienta que servidores e dependentes que realizam tratamentos com médicos na rede credenciada, devem buscar a declaração no local de acompanhamento.

Em caso de dúvidas, o beneficiário pode entrar em contato com o Call Center Médico, que funciona nos telefones 3330-6043 e 3330-6063, de segunda à sexta, das 9h às 17h.

IMUNIZAÇÃO – Seguindo orientação do Ministério da Saúde, a imunização para portadores de comorbidades vai acontecer por faixa etária, dos mais velhos para os mais novos. A Secretaria Municipal da Saúde começou nesta quinta-feira (06), a aplicação da primeira dose da vacina contra a covid-19 em parte do grupo de pessoas com comorbidades: os pacientes de hemodiálise e as pessoas com deficiência permanente com Benefício de Prestação Continuada.

O beneficiário deve ficar atendo ao cronograma de vacinação da Prefeitura de Curitiba e comparecer ao local somente nos dias indicados.

GESTANTES – As gestantes, em qualquer idade gestacional entre 18 e 59 anos, foram incluídas pelo Ministério da Saúde nesta fase de imunização dos pacientes com comorbidades. Para este público, não será necessário aguardar o critério de idade.

As gestantes que são acompanhadas pelo Centro de Saúde do ICS ou rede credenciada poderão solicitar a declaração junto ao médico que acompanha o pré-natal.

As puérperas (mães que tiveram bebê a até 45 dias) seguem a mesma lógica para se enquadrar nos critérios para vacinação contra o covid-19.

Lista de comorbidades
Veja as comorbidades estipuladas no Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação do Ministério da Saúde

– Diabetes mellitus (qualquer indivíduo com diabetes);

– Pneumopatia crônica grave (indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave com uso recorrente de corticoides sistêmicos ou internação prévia por crise asmática).

– Hipertensão Arterial Resistente (pacientes cuja pressão arterial permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administradas com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou com pressão arterial controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos).

– Hipertensão Arterial estágio 3 (pressão arterial sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo ou comorbidade)

– Hipertensão Arterial estágio 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade (pressão arterial sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade).

– Insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association

– Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária

– Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo)

– Síndromes coronarianas crônicas (angina pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós-infarto agudo do miocárdio)

– Valvopatias (lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico)

– Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática

– Doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas (aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos)

– Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; entre outras)

– Cardiopatias congênitas no adulto com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento miocárdico

– Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular)

– Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e síndrome nefrótica

– Imunossuprimidos (indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticóide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias; pacientes oncológicos que realizaram tratamento quimioterápico ou radioterápico nos últimos 6 meses; neoplasias hematológicas).

– Hemoglobinopatias graves (doença falciforme e talassemia maior)

– Obesidade mórbida (IMC ≥ 40)

– Síndrome de down (trissomia do cromossomo 21)

– Cirrose hepática (cirrose hepática Child – Pugh A, B ou C)
Além desses:

– Gestantes, em qualquer idade gestacional entre 18 e 59 anos

– Pessoas com deficiência permanente entre 18 e 59 anos e que sejam cadastradas no Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Declaração de comorbidades
Compartilhe esta notícia: